Receitas rápidas e práticas para um dia-a-dia verdadeiramente saudável

Dicas: Os essenciais cá em casa

Dicas: Os essenciais cá em casa

Uma das coisas mais importantes para uma alimentação realmente saudável é ter uma despensa com alimentos verdadeiros, que trazem o melhor de si ao nosso dia-a-dia e à nossa saúde.

Partilho os produtos que não podem faltar na minha cozinha, alguns benefícios, (que mais tarde vou querer explorar um por um) e dicas rápidas.

São para mim o essencial dos essenciais. Com uma despensa recheada de frescos, temos sempre qualquer coisa boa para comer.

O obrigatório, de fruta, cá em casa são Limões, Bananas, Maçãs e Abacate.

Não vivo sem estes 4 mas adoro variar! Aproveito para escolher fruta e legumes da época, dando preferência aos produtos nacionais sempre que possível claro e se sei que uma fruta tem uma época mais curta ou é mais rara, seja pelo preço ou mesmo pela existência, compro em mais quantidade e congelo (frutos vermelhos e morangos são o melhor exemplo).

O Limão é o meu melhor amigo de manhã mas também o melhor dos temperos. As Bananas são a base de qualquer bom sumo, o ingrediente chave numas panquecas ou um pré-treino perfeito com um bocadinho de sementes de cânhamo. A Maçã é o melhor dos snacks portáteis, dentro da carteira, sempre uma Maçã!

O Abacate… É a dependência cá de casa. Alguém (que não sou eu, já não sabe viver sem eles).

Nos Legumes Bróculos, Tomate, Cenoura, Curgete, Beterraba, Espinafres.. ficava aqui a escrever uma lista infindável. Sempre fui muito de comer legumes. Salvam qualquer refeição e na gravidez os nutrientes que possuem são mesmo essenciais!
Nesta lista, e apesar de não ser um legume, vou incluir a Batata-Doce. Gosto dela por amor, pelo o bem que ela nos faz e não sei viver sem ela.

Por isso, encham o frigorífico que muitas receitas vão surgir com os mais variados legumes. Panquecas, crepes, sumos, massas, sobremesas… 🙂

Cereais (integrais)

Arroz, Pães, Cereais, Farinhas e Massas. Tudo entra cá em casa mas em versão integral.

Cheios de fibras, proteínas, vitaminas e minerais. Tudo o que precisamos para complementar a nossa super alimentação, sempre, mas em especial estes 9 meses + o tempo de amamentação.

Os cereais que como, por norma não têm glúten, assim consigo tirar o maior partido da componente energética que trazem e não sobrecarrego o processo digestivo.

Quinoa, Millet, Aveia, Trigo Sarraceno e Arroz integral são os meus preferidos e os que mais uso. Em pão, em farinhas, em massas e no próprio cereal. Costumo comprar a granel (biológicos) em quantidades generosas, para garantir que não vão faltar. Guardo em frascos à temperatura ambiente e duram bastante tempo.
A maioria das pessoas  tem a preocupação de não comer cereais pela quantidade de hidratos de carbono que podem ter = quantidade de calorias.

Já fui a paranóica das calorias. Felizmente aprendi a tirar o maior partido dos alimentos e acreditem que, estes são mesmo os melhores para tudo, até para manter o peso, pois são uma super fonte de energia. Podemos usá-los em pequenos-almoços, refeições e sobremesas deliciosas.

– Para quem não é alérgico ao glúten (celíaco),  de vez em quando é bom introduzir um ou outro cereal que possa ter glúten, que é para não criarmos reacção ao consumir depois de muito tempo. Nessas alturas escolho a espelta, por ser menos processada e refinada do que trigo. –

( Hoje em dia em qualquer supermercado vende estes cereais, por isso, se ainda não estão familiarizados com eles e têm medo de não gostar, comprem em quantidades pequenas para teste).

Sementes
O extra de tudo! Vale em pequenos-almoços, em saladas, em sobremesas ou sumos.

Gosto de ter uma grande variedade de sementes, gosto de as usar como toppings e a minha granola não passa sem elas, por isso nos meus frasquinhos tenho sempre: Sementes de ChiaLinhaça, Papoila, Sésamo, Girassol, Abóbora.
Ricas em fibras, vitaminas, ácidos gordos e minerais com efeitos antioxidantes essenciais também durante a gravidez. Deixo todos os benefícios para explicar mais profundamente num post de dicas.

Rápidas de preparar, fontes de fibras e proteínas, deliciosas de sabor e transformam nutricionalmente um prato.

Sem dúvida que as minhas preferidas são as o Grão-de-Bico, as Lentilhas e o Feijão.

Mais uma vez compro a granel, cruas e assim, posso ser eu a cozinhá-las. Gosto de as demolhar em Alga Kombu e usufruir, de facto, os maiores benefícios delas.

Para quem não conhece as vantagens de demolhar, deixo aqui as que acho mais importantes para nós grávidas:

•Melhora a digestão destes alimentos (diminuiu a flatulência e neutraliza os inibidores de enzimas)

•Ativa o potencial nutricional os alimentos(a biodisponibilidade do zinco e ferro é aumentada, assim como a absorção das vitaminas principalmente do complexo B e as proteínas ficam mais disponíveis).

•Reduz o tempo de cozedura

Não costumo comprar de frasco ou lata. Mas quando o faço, escolho biológico, claro. Assim, sei que os ingredientes que compõem são naturais e o mínimos indispensáveis.

Não conheço ninguém que passe sem elas. São a melhor e mais saudável forma de tempero. Transformam qualquer prato numa viagem de sabores e sentidos. Contam histórias e são a vida de qualquer cozinha.

Benditos na minha vida o Açafrão, o Alho, o Gengibre (estes três em pó ou raiz), os Cominhos, a Pimenta e a Canela. Há quem diga que as grávidas não devem consumir Canela e Açafrão mas acho que cada caso é um caso e se não houver contra-indicação médica, com peso e medida (como com tudo) poderemos consumi-las.

Coentros para eliminar os metais pesados do peixe e marisco, Salsa para a retenção de líquidos, Hortelã e Manjericão para a digestão, são obrigatórios cá em casa. Mas também não passo sem os meus Oregãos e o Tomilho que aprendi a gostar e dá vida às minhas deliciosas Batatas Doces assadas.

Há todo um mito à volta dos frutos secos que se começa, finalmente, a dismistificar e para no qual eu pretendo dar o meu contributo.
São ricos em vitaminas, minerais e fitoquímicos. São, na sua maioria constituídos por cerca de 20% de proteína, 20% de hidratos de carbono e 60% de lípidos, ou seja, gordura.

Don´t panic! É gordura saudável e é imprescindível para a saúde e para o bom funcionamento do corpo.
Quantidades e calorias à parte, estes frutos são um perfeito snack saudável, fazem sobremesas ótimas e umas manteigas de ir aos céus. Manteiga – saudável – em segundos é possível sim.

Os que mais uso e não podem faltar: Amêndoas, Nozes, Cajus, Avelãs, Tâmaras

Nota: Não há cá frutos secos cheios de sal e processados mas prometo umas opções à altura dos mais céticos.

Azeites, Óleos e Vinagres

Tenho a sorte de na Quinta do meu Pai (Quinta da Alempassa) se produzir, para além do melhor Vinho Tinto, o melhor Azeite – 100% biológico. Se há produto que, na minha opinião, valha a pena investir é num bom azeite biológico. O paladar intenso, a textura suave e aveludada são capazes de realçar o sabor dos alimentos. É incrível. Mas atenção que só o uso praticamente para temperar ou usar a frio, pois não é uma gordura que se deva utilizar para temperaturas elevadas.

Para cozinhar o Óleo de Coco (único óleo que uso e biológico). É a minha gordura preferida e a mais versátil também. Uso para sustituir a manteiga em receitas, untar formas quando faço bolos, uso para grelhar e se precisar de um boost de energia extra para juntar a um sumo pré-treino.
É ótima para cozinhar mas também é ótima para a pele e para o cabelo.

Aprendi a deixar de usar vinagre, mesmo nos temperos das saladas. O vinagre não é das melhores coisas para a saúde graças à acidez do seu ph. Normalmente anda à volta dos 2%.
No entanto, é com Vinagre de cidra de Maçã, Bio claro, que desinfecto as minha frutas e legumes, durante a gravidez.

Só mesmo os leites vegetais é que se bebem cá em casa.

Bebida de Coco, Arroz Integral ou Amêndoa são os que gosto de ter e ir variando. Uso de vez em quando ao pequeno-almoço ou para alguns Lattes mas principalmente uso-os em receitas.

Só têm vantagens… Não têm lactose nem lactase. São ricos em vitaminas, têm uma relação equilibrada entre sódio e potássio e têm cálcio na mesma! Por isso, esqueçam lá o leite animal, pode ser?

Por falar em leites, incluo aqui também o Leite de Coco para cozinhar, que também tenho sempre na despensa. Para mim é das coisas mais maravilhosas do mundo. Torna tudo mais cremoso. Fica perfeito em bolos, em receitas para substituir as natas e principalmente no Caril que tanto adoro.

O único adoçante que uso é o Mel.

(Já não me lembro da última vez que se comprou açúcar cá para casa).

Para mim é o mais natural de todos, até porque só uso o biológico. É o único açúcar com nutrientes e tem um índice glissémico inferior ao do açúcar, para além de ter imensos benefícios para a saúde!

Tem um sabor mais forte, que nem toda a gente gosta mas para cozinhar é muito bom. Substitui o açúcar na perfeição, dá um toque final nas panquecas ou smoothies e faz uma cebola caramelizada mais do que saudável!
Se eventualmente tivesse que usar outro adoçante escolheria o Açucar de Coco. Não tem um sabor intenso e tem também um baixo índice glissémico. No entanto, não deixa de ser açúcar. Faz parte do Maccacio (superalimento) que adoro, por isso, de vez em quando acabo por consumi-lo.

Não vivo sem. Adoro. Mentiria se dissesse que adoro todoooos os sabores. Mas, de facto, adoro o bem-estar e energia que me dão! Vou fazer um post de dicas onde vou mostrar os benefícios de cada um para as grávidas e para a saúde em geral mas para já deixo aqui os indispensáveis: Maca, Cacau Cru, Spirulina, Clorella, Sementes de Cânhamo, Açaí e Maccacino.


Related Posts

Dica: Atenção à misturas das frutas

Dica: Atenção à misturas das frutas

Vejo constantemente fotografias maravilhosas de super bowls, sumos e smoothies lindos em que só apetece devorá-los. Mas… Por mais que a maioria das frutas tenham grandes qualidade nutricionais, nem todas combinam entre si. Se a ideia é recebermos energia dos alimentos e usá-la ao longo […]

Húmmus

Húmmus

Cá em casa tenho sempre grão de bico. Compro a granel, deixo a demolhar em alga kombu, cozo e congelo em saquinhos pequenos. Assim, quando chega a hora de fazer hummus tudo se torna mais fácil e não me obriga a recorrer ao grão de […]



4 thoughts on “Dicas: Os essenciais cá em casa”

  • Olá!
    Descobri o seu blogue muito recentemente através de uma publicação da Maria Granel no facebook e tenho a dizer que já se encontra entre a minha lista dos blogues favoritos 🙂
    Enquanto lia este post fiquei com uma dúvida que talvez me consiga esclarecer. Também usava o mel como adoçante e para cozinhar mas ultimamente tenho visto em alguns blogs que acompanho que há suspeitas que o mel aquecido acima dos 40º passa por um processo enzimático, levando a libertação de toxicidade. Falei com a dona da loja onde compro os meus produtos biológicos que me confirmou e alertou-me que apenas o deveria usar frio. Também tenho na familia produtores de mel e resolvi falar com eles e que me disseram que não devia aquecer o mel a temperaturas superiores a 50ºC uma vez que se degrada. Deixei de utilizar o mel em todas as receitas que iam ao forno (pão, bolachas…) só o uso em “frio” são as recomendações que tenho recebido uma vez que existe perigo de toxidade nos humanos . Existe informação realmente cientifica sobre isto? Existem estudos? Continua a ver muitos blogs de alimentação saudável a aquecer o mel a temperaturas superiores a 50ºC. Obrigada

    • Querida Licínia,
      Obrigada pelas suas palavras tão queridas. Fico muito contente que tenha gostado do site e que visite várias vezes e consiga tirar ideias para refeições práticas e cheias de saúde!
      Relativamente à sua questão (bem interessante!) sobre o mel..
      De facto o mel não deve ser aquecido acima dos 40 C, para não destruir suas enzimas (enzimas essas que são usadas pelo corpo para metabolizar nutrientes de todos os tipos de alimentos, incluindo gorduras, proteínas e hidratos de carbono).
      Ou seja, mel a cru é mais benéfico no sentido de ser uma fonte alternativa de enzimas para pessoas que comem a maior parte de seus alimentos cozinhados.
      Idealmente, para cozinhar com mel deveria ser em banho-maria a uma temperatura até aos 40C..
      No entanto, como há receitas que têm mesmooooo que ter um adoçante, acabo por preferir usar o mel, a usar qualquer outro tipo de adoçante que de “raiz” não tenha já nutrientes ou enzimas.

      Espero ter ajudado.
      Um beijinho e obrigada!

  • Boa Tarde!

    Parabéns pelo blog, estou a adorar seguir as receitas 🙂

    Tenho duas dúvidas: a primeira é onde posso comprar a Alga Kombu para demolhar? A segunda: onde compra os produtos a granel?

    Obrigada!

    • Olá Marta!
      A alga Kombu consegue arranjar em qualquer supermercado de produtos naturais/biológicos.
      Celeiro, Go Natural Supermercados (antigo Brio), …
      Os produtos a Granel costumo comprar ou na loja Maria Granel em lisboa, na Biofrade na Parede ou também arranja nos Cleiros e Go Natural Supermercados 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *